» Domingo, 15 de Julho de 2018
   
 


Este é um tópico que possui vários enfoques o que o torna muito amplo, inicialmente estamos abordando alguns aspectos, que por si merecem maior aprofundamento. Periodicamente estaremos ampliando e buscando abordar todos estes enfoques com profundidade.

O Temperamento do Fila Brasileiro

Forte, robusto, protetor, amigo incondicional dos donos, babão, amoroso e com um instinto ímpar para defesa, é considerado um dos melhores cães de guarda e companhia da cinofilia mundial.

Quando se fala ou se pensa no Fila Brasileiro, a primeira impressão que se tem é de um animal feroz, enorme e destemido, capaz de realizar uma guarda eficiente. Poucos, no entanto, imaginam o Fila pelo aspecto mais encantador: a fidelidade e a docilidade para com os donos; um cão caseiro que é capaz de ficar deitado próximo à porta da cozinha esperando receber a qualquer momento, um pedaço de pão ou que fica dormindo sobre os pés do dono, enquanto este lê tranqüilamente o jornal de domingo. É notório todos os criadores e donos de Fila dizerem isto, mas não pense que por ser caseiro e fiel ao dono, ele é manso. Muito pelo contrário, não aceita de forma alguma o contato com estranhos e quando o faz, é com extrema reserva e acompanhado do dono.

O seu tamanho aliado à sua fidelidade, ao seu não aceitamento de intimidades, à sua coragem e dignidade, tornam este cão Fila incorruptível; o seu amor pela família faz com que reaja a qualquer tentativa de agressão externa, na mesma intensidade dos carinhos que recebe daqueles que ama. Ou seja, quanto mais o cão participa da rotina da família, quanto mais carinho e atenção recebe, mais intensamente irá defender aquelas pessoas a quem identifica como seus familiares. Recebendo o cuidado e a dedicação que merece, terá aguçado o seu instinto de fidelidade e, ao deparar-se com um invasor, seja ele qual for, irá mostrar toda a sua valentia , tenacidade e espírito de proteção, dando sua vida, se preciso for para defender a família de que só um Fila é capaz de ter.

CONVÍVIO COM OS DONOS

O padrão oficial já salienta: “para com os de sua casa, o Fila é dócil, obediente e extremamente tolerante com as crianças. É proverbial sua fidelidade, procurando com insistência a companhia dos donos”. Enfim, o Fila é super companheiro e meigo, do tipo pegaojoso que vira a barriga para cima para ser afagado; em relação às crianças é muito paciente e brincalhão, além de muito dócil. Este é o real comportamento do Fila com o dono e sua família – ele até pode eleger um como dono principal, mas será adorável com todos da casa.

Este comportamento ocorre quando o cão é criado desde filhote com a família. No entanto se é adquirido após adulto, infelizmente as coisas não acontecem da mesma maneira – inicialmente, ele será extremamente reservado e desconfiado, pois vê os seus novos donos como estranhos. Depois de um tempo de adaptação à sua nova casa, escolherá alguém como dono principal e manterá sua distância com relação aos demais até se adaptar completamente à nova situação. Isso leva algum tempo e conseqüentemente, terá de haver muita paciência para realizar a aproximação do cão, jamais impondo qualquer coisa ou usando de violência para ensina-lo algo – a agressão ao cão só reforçará sua ogeriza.

CONVÍVIO COM ESTRANHOS

Até a década de 70 a agressividade exagerada do Fila Brasileiro, era meta evidente – muitos criadores acentuavam a aversão de seus cães aos estranhos, até com treinamentos. Contudo isso começou trazer problemas para a raça e seus criadores, principalmente em exposições onde o Fila raramente ganhava premiações, por não permitir que o juiz se aproximasse para avalia-lo.

A partir da década de 80, começou-se a trabalhar a socialização do cão, para que ele pudesse ser tolerante a estranhos, acompanhado do dono, e indiferente aos transeuntes. Um Fila que esteja no seu território, pode até aceitar a presença não ameaçadora de gente desconhecida, mas para que isso aconteça é fundamental que tenha sido socializado, ou seja, tem que ser acostumado desde pequeno ao contato com pessoas que não são da família, pois do contrário a raça tende a não tolerar visitas, por mais bem vindas que sejam pelos seus donos.

É uma característica intrínseca do temperamento da raça Fila Brasileiro e aquele que tentar fazer amizades com ele, com a intenção de invadir seu território, estará perdendo tempo. Contudo, hoje não é difícil encontrar alguém que tenha socializado o seu cão a fim de que ele aceite outras pessoas que não seja da casa – alguns deixam o Fila solto enquanto recebem visitas e em certos casos, o mesmo até aceita que lhe passem a mão. Mas temos uma ressalva: ele pode até tolerar estranhos neste caso, porém nunca se submeterá á eles, principalmente se estes invadirem seu território sem serem convidados, simularem qualquer agressão aos seus donos ou tentarem dar broncas, gritos ou agredirem os próprios cães.

 

 

Desenvolvido por FiL Sites © Copyright 2012 - Sociedade Paulista do Fila Brasileiro